HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
04 nov 2021 - 10:03
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Novas regras da ANP de comercialização do biodiesel estimulam eficiência logística, melhoria da qualidade e redução de preços, diz IBP

A entrada em funcionamento do novo modelo de comercialização do biodiesel, por meio da negociação direta entre os agentes produtores e distribuidoras, a partir de 1º de janeiro de 2022, em substituição aos leilões públicos, é positiva para o mercado na visão do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP).


Debatido amplamente com a sociedade no âmbito da iniciativa Abastece Brasil e definido pela Resolução nº 14/2020 do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), o novo modelo foi ratificado pelo órgão no último dia 20/10 e regulamentado pela recém-publicada Resolução ANP nº 857/2021, estando alinhado às diretrizes das políticas públicas do setor ao incrementar a competição no mercado de downstream com vistas à segurança do abastecimento nacional.


O IBP entende que a negociação livre e direta incentiva o aprimoramento dos processos produtivos, estimula melhorias na qualidade dos produtos ofertados e promove maior eficiência logística, resultando em benefícios ao consumidor, uma vez que confere flexibilidade aos agentes para definição de suas estratégias. Outro ponto positivo em linha com a determinação do CNPE, é a abertura para a importação do biocombustível em 12 meses após implementação desta dinâmica, abrindo espaço para mais concorrência no segmento.


Apesar das novas regras exigirem uma meta de contratação prévia entre os agentes em níveis elevados, o Instituto entende que a Resolução é um passo importante para a abertura do mercado e traz benefícios à cadeia como um todo. Ganhos logísticos e melhoria na qualidade do produto poderão se traduzir em redução de custos e de preço ao consumidor. A relação mais próxima entre produtores de biodiesel e distribuidores de combustíveis trará previsibilidade à produção e aos necessários investimentos.


O IBP destaca ainda a importância da manutenção do controle sobre a regularidade fiscal dos agentes que atuam neste mercado e a simplificação tributária como medidas adicionais essenciais para tornar o novo modelo de comercialização mais dinâmico, competitivo e equilibrado.


Fonte: Notícias Agrícolas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
06 dez 2021

ESG: Emissão de gases, crédito de carbono e padronização de informações devem ser centro das atenções em 2022

+
SAIBA MAIS
02 dez 2021

ABPA PREVÊ MENOR OFERTA DE FARELO DE SOJA E ALTA DE PREÇOS COM DECISÃO SOBRE BIODIESEL

+
SAIBA MAIS
02 dez 2021

Indústria de biodiesel e soja do Brasil crê em reversão de mistura menor

+
SAIBA MAIS
02 dez 2021

Biocombustíveis estão caminhando para a ‘comodotização’ com plataforma de negociação

+
SAIBA MAIS
02 dez 2021

Aprobio critica CNPE após redução de mistura obrigatória de biodiesel

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO