HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
13 dez 2023 - 19:05
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

No G20, Lula pede “descarbonização” e metas ambiciosas para a COP30

Horas após a aprovação do Balanço Global, principal texto da Conferência do Clima da ONU, COP28, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu, em reunião com representantes do G20, um esforço conjunto para a descarbonização da economia mundial, a partir da transição energética.


O chefe do Planalto discursou, nesta quarta-feira (13/12), a representantes de líderes do G20, reunidos no Palácio Itamaraty. Esse é o primeiro pronunciamento dele no âmbito do bloco, desde que o Brasil assumiu a presidência do grupo que reúne as maiores economias do mundo, até novembro de 2024.


No pronunciamento, Lula lembrou que os países que integram o grupo são responsáveis por três quartos das emissões de gases do efeito estufa, responsáveis pelas mudanças climáticas. “O planeta não suportará um aumento da temperatura global superior a um grau e meio”, cobrou.


Lula participa da reunião conjunta das trilhas de Sherpas e Finanças do G20, no Itamaraty. O encontro inédito entre os dois eixos do bloco é uma inovação proposta pela presidência brasileira à frente do grupo.


“A descarbonização da economia global e a revolução digital são processos que mudarão o planeta. O G20 é responsável por três quartos das emissões globais de gases do efeito estufa. Os membros de renda alta do grupo emitem, anualmente, doze toneladas de gás carbônico per capita, enquanto os de renda média emitem metade desse volume”, ressaltou.


“O planeta não suportará um aumento da temperatura global superior a um grau e meio. O G20 será essencial para que, na COP30, em Belém, adotemos contribuições nacionalmente determinadas mais ambiciosas, acompanhadas dos meios de implementação adequados”, completou Lula.


COP28


A cúpula climática COP28, em Dubai, aprovou nesta quarta um acordo que, pela primeira vez, indica a obrigação de países abandonarem o uso de combustíveis fósseis. No texto, esse seria o primeiro modo para que as alterações climáticas tenham efeitos piores.


É a primeira vez que um acordo do tipo cita diretamente o abandono de combustíveis fósseis. E isso foi uma exigência de muitos países que participaram da cúpula. Veja aqui (em inglês) os 238 pontos que integram o texto final.


O acordo alcançado em Dubai veio depois de duas semanas que discussões duras e com o objetivo de mandar um recado ainda mais exigente às maiores economias mundiais e aos principais líderes do planeta.


A escolha de Dubai, nos Emirados Árabes, para sediar a reunião colocou em foco a exploração de petróleo e o uso de combustíveis fósseis — a principal causa das mudanças climáticas.


Realizar uma conferência ambiental naquele país, que é um dos 10 maiores produtores de petróleo no mundo, evidenciou o alerta para a urgência da transição para fontes de energia renováveis.


 


Fonte: Metrópoles

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
16 abr 2024

Previsibilidade e segurança jurídica: APROBIO destaca importância do PL Combustível do Futuro em audiência no Senado

+
SAIBA MAIS
16 abr 2024

Planeta bate novo recorde de calor e especialistas explicam preocupação

+
SAIBA MAIS
16 abr 2024

Aquecimento global vai parar na Justiça: crescem casos de litigância climática contra desmatadores

+
SAIBA MAIS
16 abr 2024

Deputado diz que Petrobras tenta “pegar carona” no Combustível do Futuro

+
SAIBA MAIS
15 abr 2024

Combustível do Futuro terá investimentos de R$ 200 bi, diz Alceu Moreira

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO