HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
23 dez 2021 - 11:34
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Harmonização tributária foi ‘benção’ para setor do biodiesel, diz presidente da Aprobio

No início do mês, o Conselho Nacional de Política Fazendária aprovou a criação de um convênio específico sobre a incidência de ICMS no biodiesel


No início do mês, o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aprovou a criação de um convênio específico sobre a incidência de ICMS no biodiesel.


A decisão foi vista como um alívio pela Associação dos Produtores de Biocombustíveis do Brasil (Aprobio). Segundo o presidente da entidade, Francisco Turra, a harmonização tributária foi uma ‘benção’ para o setor.


“Pós término dos leilões, isso acontece a partir de 1º de janeiro de 2022, se não houvesse a criação de um sistema especial para a comercialização do biodiesel, teríamos uma confusão total. Temos estados produtores, consumidores, o repasse dos créditos seria muito ruim. Teremos o mercado livre, sem intermediação da Petrobras, mas com uma harmonização tributária muito importante”, explica.


Segundo Turra, houve muito diálogo do setor produtivo com os governos estaduais sobre as questões tributárias que não estavam resolvidas no novo modelo de comercialização em que as distribuidoras compram diretamente das usinas sem a necessidade de leilões públicos.


O convênio do Confaz propõe que as usinas produtoras sejam credoras das refinarias, que, após validação estatal e como substitutos tributários, transferem o ICMS recolhido sobre o biodiesel para o estado produtor. Com isso, as usinas manterão a possibilidade de utilização dos créditos de insumos.


Sobre a decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) de reduzir a mistura de biodiesel para 10% em todo o ano de 2022, Francisco Turra diz que a Aprobio espera que o governo federal reveja a posição. “Nós geramos o emprego verde no Brasil. O governo optou por importar mais combustível fóssil. Na COP26, o discurso do Brasil foi sobre despoluir, descarbonizar. Existem países que estão no B20, no B30. O Brasil deixa de lado uma resolução que deveria entrar em vigor em março”.


Fonte: Canal Rural

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
26 jan 2022

BSBIOS Paraguay assina memorando de entendimento com a Copetrol para investimento no projeto Omega Green

+
SAIBA MAIS
26 jan 2022

Quando o crédito de carbono cai na sua conta

+
SAIBA MAIS
24 jan 2022

Líder em biodiesel, BSBios congela investimentos com retorno ao B10

+
SAIBA MAIS
24 jan 2022

A negociação de créditos de carbono dispara – e o Brasil tem muito a ganhar com a retomada

+
SAIBA MAIS
20 jan 2022

Biodiesel: Produtores contestam cálculo do MME sobre economia com B10

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO