HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
12 dez 2023 - 15:35
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Estudo sobre custos dos CBios superestima valores, diz Unica

SÃO PAULO (Reuters) - A União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), que representa grande parte das empresas que emitem Créditos de Descarbonização (CBios), afirmou nesta terça-feira que um estudo divulgado na véspera pela associação de distribuidores de combustíveis Brasilcom superestima os gastos das empresas de distribuição com tais títulos.


A Brasilcom, federação que reúne mais de 40 distribuidoras regionais de combustíveis do Brasil, divulgou estudo que aponta que os CBios causaram aumento médio de 14 centavos de real por litro no preço do diesel nas bombas e de 12 centavos na gasolina, diante de um repasse de custos com o programa pelas distribuidoras em 2023.


As distribuidoras de combustíveis do Brasil, pela lei do RenovaBio, têm metas de compras de CBios, cujo custo é repassado aos consumidores. Já os produtores de etanol e biodiesel são os emissores dos créditos.


Segundo nota da Unica divulgada nesta terça-feira, o estudo divulgado pela Brasilcom "apresenta uma análise econométrica que simplifica demasiadamente o funcionamento dos mercados de gasolina e diesel, obtendo resultados absolutamente desconectados da realidade".


A Unica afirma que, pela análise divulgada pela associação, se forem multiplicados aqueles valores pelo consumo de diesel e gasolina observado de janeiro a outubro de 2023, obtém-se "um total de 12,24 bilhões de reais que, segundo o estudo apresentado, foram acrescidos ao preço dos combustíveis fósseis para custear a compra de CBios".


"Ocorre, entretanto, que, segundo dados públicos disponíveis no site da B3 (BVMF:B3SA3), nesse mesmo período a compra de CBios pelos distribuidores totalizou apenas 3,15 bilhões de reais. Essa condição atesta de forma inequívoca que o impacto calculado pelo estudo é superestimado e não representa a realidade", disse a Unica.


A lógica apresentada para 2023, afirmou a Unica, repete-se nas estimativas obtidas pela associação para todos os anos.


"A superestimação dos efeitos do CBio nos preços de bomba dos combustíveis fósseis é tão destoante da realidade ao ponto de multiplicar toda a movimentação financeira desde o início do RenovaBio em quase quatro vezes", comentou.


A associação de produtores de biodiodiesel Aprobio considerou o estudo da Brasilcom como "tentativa de determinados setores da distribuição de combustíveis de desfigurar a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio) em favor do maior uso do diesel fóssil poluidor".


Segundo a Aprobio, "a postura não é nova".


"Agora, mais uma vez, organizam-se para pressionar e para desmontar um conjunto de políticas públicas ambientais que fazem do Brasil uma referência global no processo de descarbonização do setor de transportes demonstrando um profundo desinteresse pelo tema da descarbonização", disse a Aprobio.


A associação disse que há uma oferta de CBios superior ao necessário para o atendimento das metas.


Segundo a Aprobio, as distribuidoras também podem, por lei, "misturar mais biodiesel ao diesel fóssil do que o mandato estabelece e assim diminuir sua obrigação de aquisição de CBios no ano seguinte".


 


Fonte: Investing.com

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
16 abr 2024

Previsibilidade e segurança jurídica: APROBIO destaca importância do PL Combustível do Futuro em audiência no Senado

+
SAIBA MAIS
16 abr 2024

Planeta bate novo recorde de calor e especialistas explicam preocupação

+
SAIBA MAIS
16 abr 2024

Aquecimento global vai parar na Justiça: crescem casos de litigância climática contra desmatadores

+
SAIBA MAIS
16 abr 2024

Deputado diz que Petrobras tenta “pegar carona” no Combustível do Futuro

+
SAIBA MAIS
15 abr 2024

Combustível do Futuro terá investimentos de R$ 200 bi, diz Alceu Moreira

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO