HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
24 nov 2016 - 08:37
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Falta de qualidade do ar provoca mais de seis mil mortes por ano em Portugal

A conclusão é apresentada no mais recente relatório da Agência Europeia do Ambiente (EEA), divulgado esta quarta-feira. Segundo o documento, a exposição a partículas finas, dióxido de azoto e ozono causou 6.640 mortes prematuras em Portugal, um valor bastante mais elevado que o registado anteriormente.


'O maior perigo para a saúde ambiental na Europa'. O estudo da Agência Europeia do Ambiente (EEA), conhecido esta quarta-feira, alerta para os riscos da poluição do ar, sobretudo nas zonas urbanas.


Segundo o relatório 'Air quality in Europe - 2016 report', que faz a retrospetiva de dados entre 2000 e 2014 e junta os dados mais recentes de 2015, a forte poluição atmosférica leva à enorme redução da qualidade de vida devido a doenças e é responsável por cerca de 467 mil mortes prematuras por ano na Europa.

Em 2014, cerca de 85 por cento da população urbana europeia estava exposta às partículas finas PM 2,5 a níveis considerados nocivos pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Exposto a este tipo de partículas, o corpo humano tem maior possibilidade de desenvolver ou agravar doenças cardiovasculares, asma ou mesmo cancro do pulmão.

"A redução de emissões levou a melhorias na qualidade do ar na Europa, mas não o suficiente para evitar danos inaceitáveis na saúde humana e no ambiente. É nosso dever encontrar as origens desta poluição, com uma transformação fundamental e inovadora nos nossos sistemas de mobilidade, energia e alimentação", refere Hans Bruyninckz, diretor executivo da EEA.

Ouvido pelo site da RTP, Francisco Ferreira, da associação ambientalista Zero, refere que a situação é muito diferente entre os vários países europeus. Mesmo dentro dos próprios países, a situação varia muito consoante as zonas urbanas.

Continue lendo aqui.


Fonte: RTP Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
19 mai 2022

Decreto cria mercado regulador de crédito de carbono no Brasil

+
SAIBA MAIS
19 mai 2022

ONU lança plano para impulsionar uso de energias renováveis

+
SAIBA MAIS
19 mai 2022

Por que engolimos o que a indústria petroleira e os ambientalistas nos dizem?

+
SAIBA MAIS
18 mai 2022

O biodiesel pode ajudar a combater as desigualdades de saúde em comunidades carentes de Justiça Ambiental

+
SAIBA MAIS
18 mai 2022

Dez países que estão recuando nas políticas para biocombustíveis

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO