HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONTATO
NOTÍCIA
27 jul 2017 - 06:16
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Buenos Aires, óleo de cozinha usado e biodiesel

Preservar recursos para incorporar o conceito de economia circular baseada na transformação de resíduos. Capital Argentina pretende ampliar o uso do biocombustível obtido a partir do óleo de cozinha usado. 





O governo da Província de Buenos Aires, através do Ministério da Agro Indústria, começou a desenvolver biodiesel a partir de óleo de cozinha usado. Esta fonte de energia já está sendo implementada em caráter experimental em tratores que fazem parte da frota ministerial apresentando resultados "totalmente satisfatórios", segundo dados oficiais.

Os principais objetivos deste biocombustível, produzido no laboratório da entidade, são promover o avanço do uso de energia alternativa amigável ao meio ambiente, ajudar a preservar os recursos e começar a incorporar o conceito de economia circular, baseada na transformação dos rejeitos e subprodutos de outras cadeias. Estudos realizados no Reino Unido mostram que o biodiesel produzido nesse formato reduz até 84% das emissões de gases de efeito estufa.

O Ministério da Agro Indústria está trabalhando para tornar a produção desse tipo de biodiesel uma alternativa fácil para toda a comunidade de produtores de Buenos Aires e, assim, reduzir substancialmente seus custos de produção. Atualmente, o novo produto tem sido utilizado em testes-piloto, para tratores e máquinas de cortar relva, acrescidos ao diesel convencional. O objetivo do projeto é fornecer um volume cada vez maior de biodiesel, que alcance mais unidades na frota, poupando assim milhares de litros de diesel.

Uma das medidas tomadas pelo Ministro Leonardo Sarquís, para fomentar o setor, foi criar o Departamento de Sustentabilidade, Meio Ambiente e Mudanças Climáticas, sob o primeiro Plano de Bioeconomia do país. Sarquis afirma que "este é mais um sinal de que estamos caminhando para uma produção sustentável no setor agro-industrial. Desde o início dessa administração, temos o compromisso de trabalhar para conservar os recursos da nossa província e estamos no caminho certo. Com essas ações buscamos contribuir para o crescimento das pequenas empresas e com a geração de empregos".

"Nosso plano de Bioeconomia visa alcançar um endereço diferente na forma como produzimos. Esperamos que todos possam desfrutar e envolver-se com o pensamento da agricultura sustentável e da industrialização inteligente", finalizou o ministro.

Renovável, econômico, alternativo e limpo, seu processo de produção envolve a reação de (triglicéridos de óleos vegetais ou outras gorduras) com um reagente (geralmente metóxido de sódio), resultando numa reação de transesterificação onde os esteres metílicos de glicerol são separados. Um processo de lavagem, secagem e esteres metílicos neutralizados resulta no produto final: comercialmente conhecido como biodiesel.

Clique aqui para acessar o texto original.

Fonte: Info Ecos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
05 jun 2020

MME abre consulta pública sobre metas de redução de emissões do RenovaBio

+
SAIBA MAIS
05 jun 2020

Queda na poluição inspira busca por soluções sustentáveis pós-pandemia

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

Como acelerar as grandes transições em prol do Desenvolvimento Sustentável na era pós-COVID?

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

Biocombustíveis: o futuro do Brasil

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

CNPE aprova medidas com vistas à retomada da economia pós-pandemia

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-911 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO