67º Leilão de Biodiesel da ANP negocia 984,443 milhões de litros

No 67º Leilão de Biodiesel da ANP foram arrematados 984,443 milhões de litros de biodiesel (volume obrigatório e voluntário), para atendimento às misturas obrigatória e voluntária. Desse volume, 983,543 milhões de litros foram para mistura obrigatória, sendo 99,95% deste total oriundos de produtores detentores do selo Combustível Social. O preço médio de negociação foi de R$ 2,329/L, sem considerar a margem da Adquirente, e o valor total negociado atingiu o patamar de R$ 2,29 bilhões, refletindo um deságio médio de 23,64% quando comparado com a média ponderada dos “Preços Máximos de Referência” regionais (R$ 3,050/L).

A apresentação das ofertas de biodiesel ocorreu em um único dia (03/06), com 39 produtores disponibilizando um volume total de 1,124 bilhão de litros, sendo 99,64% de produtores detentores do selo Combustível Social.

Em continuidade ao processo do Leilão de Biodiesel, foram arrematados 920,49 milhões de litros de biodiesel no primeiro dia de seleção das ofertas (05/06) pelos distribuidores de combustíveis. Esse volume foi oriundo exclusivamente de produtores detentores de selo Combustível Social e representou 81,93% do total ofertado no leilão.

No segundo dia de seleção das ofertas (06/06), foram arrematados 63,05 milhões de litros de biodiesel de produtores detentores ou não de selo Combustível Social, em torno de 5,61% do total ofertado no leilão.

O processo de apresentação de ofertas de biodiesel pelas usinas e de seleção pelos distribuidores para mistura voluntária ocorreu no dia 10/06. Foram disponibilizados 30,38 mil litros, sendo 93,42% de produtores detentores do selo Combustível Social, volume que representou 21,69% do saldo total de oferta não vendida para fins de adição obrigatória. Foram negociados 0,9 milhão de litros de biodiesel, representando 2,96% do total ofertado no leilão autorizativo.

Os Leilões de Biodiesel destinam-se a atender o disposto na Lei nº 13.263, publicada no DOU em 24/03/16, que estabelece em 10% o percentual mínimo obrigatório de adição de biodiesel ao óleo diesel vendido ao consumidor final (B10), em até trinta e seis meses após a data de promulgação da Lei.

Ressalta-se que o 67º Leilão (L67) visa a garantir o abastecimento de biodiesel no mercado nacional durante o período de 01 de julho a 31 de agosto de 2019, conforme os critérios estabelecidos no Edital de Leilão Público nº 003/19-ANP, e que os volumes comercializados no leilão somente serão validados após homologação pela Diretoria Colegiada da ANP.

Fonte: ANP

Distribuidoras levam 920 milhões de litros na Etapa 3

As distribuidoras já têm garantida a compra de 920,4 milhões de litros de biodiesel. Foi esse o resultado final da Etapa 3 do 67º Leilão de Biodiesel da ANP. Aberto nessa segunda-feira (03), o processo vai adquirir o biocombustível necessário para atender à demanda do mercado compulsório e voluntário nos meses de julho e agosto.

A rodada de hoje aconteceu dentro da normalidade. As compras foram abertas pontualmente às 10h00 e demoraram um pouco para embalar, mas, então, atingiram um bom ritmo e seguram assim até as 20h39 quando o processo foi dado por encerrado.

O volume comprado hoje pode ser considerado muito bom. As estimativas de BiodieselBR.com eram de que as compras da Etapa 3 ficassem por volta dos 810 milhões de litros. Em relação ao mesmo ponto do L66 – quando a demanda foi de 809,8 milhões de litros –, as compras avançaram 13,6%.

Das ofertas feitas pelas usinas da Etapa 2, sobraram 203 milhões de litros ainda por serem vendido.

Teto

O resultado de hoje permite que as distribuidoras adquiram mais 230 milhões de litros na Etapa 5. Se atingir o teto, o L67 terá negociado um total de 1.150 milhões de litros – 97.6% da oferta das usinas que foi de 1,12 bilhão de litros.

Nas negociações de hoje, o preço médio do biodiesel vendido ficou em R$ 2.358,80 por metro cúbico. Multiplicando esse valor pelo volume negociado até agora, temos uma movimentação financeira de R$ 2,1 bilhões.

No encerramento da Etapa 3, o L66 havia gerado um faturamento de R$ 1,87 bilhão.

Esgotado

Fechadas as compras do dia, a maior vendedora de biodiesel até o momento é a Potencial com 61,78 milhões de litros arrematados por um preço médio de R$ 2.332,18.

Das 39 unidades produtivas que se habilitaram para participar do processo, 12 já venderam a totalidade de suas ofertas. Destas, 5 esgotaram toda sua capacidade produtiva para o bimestre.

Do outro lado apenas a Granol do Rio Grande do Sul ainda não vendeu uma única gota de biodiesel.

Fonte: BiodieselBr

Oferta de biodiesel sobe no 67º Leilão de Biodiesel

Depois de ter recuado um pouco no bimestre passado, o volume de biodiesel ofertado pelas usinas voltou a crescer e se aproximar de sua máxima no 67º Leilão de Biodiesel (L67). Encerrada a Etapa 2 do processo registrou ofertas que totalizam os 1,12 bilhão de litros; crescimento de 2,8% sobre o resultado que havia sido registrado no Leilão 66.

E foi por muito pouco que o L67 não tomou do L65 a posição de maior volume de biodiesel ofertada na história. Ficaram faltando apenas 530 m³ para que as ofertas nos dois certames se igualassem.

Capacidade mais curta

Com menos usinas partipantes colocando mais biodiesel à venda, o percentual da capacidade habilitada que foi efetivamente ofertado voltou a aumentar e fechou a Etapa 2 do L67 em 84,1%.

Nos nove leilões de biodiesel realizados desde que B10 foi implementado em março de 2018, as usinas concorrentes vêm ofertando sempre acima de 80% de sua capacidade instalada – o teto foram os 86,5% do L62 e o piso foram os 80,4% do L63.

Preços

O enxugamento na capacidade não tem, necessariamente, levado a preços maiores. Nas últimas nove disputas, o valor pedido pelas usinas por seu produto tem andado mais de lado do para cima ou para baixo.

Dessa vez, o preço médio da Etapa 2 ficou em R$ 2.332,75 cerca de 2% maior do que o valor de pedido pelas usinas no L66 . Vale recordar, no entanto, que esse valor para o biodiesel só foi atingido depois da pouco ortodoxa reabertura da Etapa 2 determinada pela ANP para tentar sanar problemas ocorridos no processo regulamentar.

Se tudo tivesse corrido normalmente, o metro cúbico do biodiesel no L66 teria sido negociado por R$ 2.307,04 e, agora, teríamos uma variação de apenas 1,1%

O deságio em relação aos preços de máximos de referência estipulados pela ANP, ficou em 23,7%.

Fonte: BiodieselBR

ANP eleva teto de preços do biodiesel no Leilão 67

Aos proverbiais 45 do segundo tempo, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) finalmente divulgou os preços de referência para o 67º Leilão de Biodiesel (L67). Com a Etapa 2 do processo marcada para ser aberta na manhã dessa segunda-feira (03), a publicação aconteceu praticamente último momento possível.

Em relação ao certame anterior, os PMRs tiveram uma ligeira alta. Em média, as usinas detentoras do Selo Social poderão cobrar até R$ 3.134,00 pelo metro cúbico do biodiesel enquanto as unidades que não compram matérias-primas a agricultura familiar poderão cobrar no máximo R$ 3.108,00. Respectivamente, os reajustes aplicados foram de aproximadamente 0,6% e 1%.

Somando as altas que haviam sido aplicadas no L66 o teto para a cobrança do biodiesel aumentou 2,4% (usinas com Selo) e 2,8% (usinas sem Selo) ao longo dos dois últimos bimestres.

O maior preço possível para o biodiesel no L67 será de R$ 3.290,00 para as usinas com Selo Social operando a partir do Nordeste enquanto o menor será de R$ 2.960,00 para usinas sem Selo instaladas na Região Centro-Oeste.

Fonte: BiodieselBR

Assine nossa newsletter e tenha acesso as principais notícias do setor


aprobio@aprobio.com.br
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 - Conj. 91 - Jd. Paulistano - 01452-911 - São Paulo - SP - Tel: 55 11 3031- 4721