Caramuru eleva investimentos em 2018

Depois de uma freada brusca em 2017, a Caramuru está voltando a ampliar seus investimentos. A informação consta da edição 2018 do Relatório de Sustentabilidade publicado na semana passada pelo grupo industrial de origem goiana.

Segundo do documento com desembolsos passaram dos R$ 68,6 milhões no ano passado. Alta de 31% em relação aos R$ 52,3 milhões do ano passado.

Se trata muito mais de uma retomada do que de um crescimento propriamente dito. Entre 2014 e 2016, o grupo investiu em média R$ 79,4 milhões por ano – o pico foi em 2016 com R$ 89,7 milhões.

Em 2017, no entanto, o grupo pisou no freio e mesmo o crescimento do último ano, ainda não foi suficiente para que o grupo voltasse aos níveis anteriores.

Mudança de perfil

Uma comparação entre os números da edição mais recente do relatório com os das edições anteriores também revela uma mudança importante no perfil de investimentos do grupo, com um crescimento importante nos gastos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D).

Com R$ 27 milhões, os gastos com P&D passaram a liderar a pauta de investimentos do grupo que multiplicou por 9 os recursos destinados à legenda.

Segundo o relatório foram firmadas parcerias com as universidades federais de Viçosa e de Uberlândia, e com a Embrapa para o lançamento de novas variedades de sementes de soja não transgênicas – foram lançadas cinco novas variedades voltadas para o estado de Goiás e fomentado o plantio de outras duas no estado do Mato Grosso. A comercialização de soja não transgênica (NGMO) para o mercado europeu foi um dos principais focos da estratégia de crescimento do grupo no ano passado.

Com isso, os investimentos em “Aumento de Capacidade” e “Logística e Distribuição” – que dominaram a pauta entre 2014 e 2017 – perderam peso.

Em 2018, a Caramuru colocou R$ 12,1 milhões na ampliação de suas unidades produtivas. O valor é cerca de metade do investido em 2017 e vem abaixo do que vinha sendo gasto desde 2014. A logística que, em 2016, liderou os investimentos com R$ 42,1 milhões – para a instalação de uma rota de escoamento da produção pela Hidrovia do Rio Tapajós – recuou para módicos R$ 2,8.

A situação deve sofrer uma nova reviravolta este ano. Em janeiro, a Caramuru anunciou investimentos de R$ 115 milhões para a instalação de uma unidade de produção de etanol a partir do melaço da soja em Sorriso (MT) e aportes nas linhas de glicerina e farelo de soja em Ipameri (GO).

Faturamento

Embora os dados não constem do Relatório de Sustentabilidade, a empresa reportou à imprensa que teve faturamento de R$ 4,2 bilhões no ano passado. O resultado representa um avanço em relação à 2017 de aproximadamente 13,5%.

Dados da plataforma BiodieselDATA indicam que as entregas de biodiesel agregaram um pouco menos de R$ 1,08 bilhão às contas da empresa no ano passado. Esse valor representa um pouco mais de um quarto do faturamento para o período – maior fatia no histórico da empresa.

Rede

O relatório aponta que o Grupo Caramuru atua em 55 localidades.

Nessa conta entra uma rede de 44 armazéns, 6 terminais e 5 unidades industriais.

Fonte: BiodieselBR

Usina Barralcool doa terreno para construção de unidade do Senai

Fortalecimento e atratividade de novos segmentos industriais, qualidade de vida da população, emprego, renda e cidadania. Esses são apenas alguns dos benefícios que a Educação Técnica proporciona e que também são os motivos que levaram a Usina Barralcool a ser a primeira empresa privada a doar um terreno de 15 mil m² para a construção de uma unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MT) no município de Barra do Bugres, cerca de 150 km da capital.

A unidade, que deverá ser construída no município, atenderá também a Nova Olímpia, Denise, Arenápolis, Tangará da Serra, Porto Estrela e outros municípios. Assinatura da escritura pública de doação ocorreu na manhã desta quinta-feira (08/10) e contou com a presença do diretor presidente e fundador da empresa, João Nicolau Petroni, além do diretor superintendente, Agostinho Sansão, o gerente de Biodiesel, Sílvio Rangel e a diretora regional do Senai-MT, Lélia Brun. O terreno fica localizado no perímetro urbano da cidade, próximo ao centro.

Para Petroni, que estudou apenas o primário e trabalha desde os sete anos de idade, levar educação para as pessoas é uma realização. “Fico emocionado sempre que vejo uma nova turma se formando. Já vi muita gente que não sabia escrever o nome, sair daqui alfabetizado e com uma profissão. O que eu mais desejo é que as pessoas possam ter a oportunidade de estudar e conquistar uma vida e um salário melhor”, afirmou.

Para o gerente de Biodiesel, Sílvio Rangel, que também é vice-presidente do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema Fiemt) e presidente do Conselho Temático de Inovação e Tecnologia da instituição, o progresso é garantido onde o Senai se instala. “Já temos uma universidade aqui e com a vinda do Senai tenho certeza de que muitos novos empreendimentos virão e o município só tem a ganhar com isso”.

A diretora regional do Senai-MT, Lélia Brun, afirmou que Barra do Bugres faz parte da proposta de expansão que vem sendo realizada pela equipe técnica da instituição para que os cursos sejam remodelados, de acordo com a metodologia Senai e as necessidades do cliente. “Nossos estudantes precisam deixar a sala de aula prontos para atuar de forma autônoma. Além disso, é fundamental que eles desenvolvam a capacidade criativa e inovadora, pilares que têm recebido atenção especial de nossa instituição”, pontua.

A empresa que conta com cerca de 2.500 trabalhadores durante a safra, tem inúmeras ações de qualificação, boa parte delas em parceria com o Senai. Atualmente, já estão em andamento no município os cursos técnicos de Química, com 80 estudantes, e Açúcar e Álcool, com 40 alunos, além de 40 jovens que fazem parte do programa de Aprendizagem. Só no ano passado, a empresa ofertou cursos de qualificação para 1.718 trabalhadores e cerca de 520 crianças carentes do município, que participam do programa Doce Vida, realizado no contraturno escolar.

Usina Barralcool

A Usina Barralcool foi constituída em setembro de 1980 por empresários de Barra do Bugres–MT. Possui uma área agrícola de 30 mil hectares, formados por plantações de cana-de-açúcar para corte, viveiros de experimentação de novas variedades e áreas de rotação de culturas. Em 1994 iniciou-se a produção de açúcar cristal. A capacidade instalada do parque industrial para a moagem é de 14 mil toneladas de cana-de-açúcar por dia, cujos processos contam com 80% de automação.

Fonte: Folhamax

Assine nossa newsletter e tenha acesso as principais notícias do setor


aprobio@aprobio.com.br
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 - Conj. 91 - Jd. Paulistano - 01452-911 - São Paulo - SP - Tel: 55 11 3031- 4721