HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONTATO
NOTÍCIA
15 ago 2017 - 06:09
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

UFOP solicita mudanças nos requisitos de redução de GEE após consumo de biodiesel diminuir na Alemanha

Os aumentos no requisito de redução de gases de efeito estufa (GEE) não foram suficientes para evitar uma queda no consumo de biodiesel, de acordo com a União Alemã para a Promoção de Plantas de Óleo e Proteínas (UFOP, Union zur Förderung von Oel- und Proteinpflanzen).

Embora a meta de redução de GEE tenha saído de 3,5% para 4% no início de 2017, o consumo de biodiesel caiu mais uma vez de 0,912 mil para 0,848 mil toneladas.

De acordo com a UFOP, a utilização de biodiesel reduz até 71,5% de GEE, o que enfatiza que o potencial para a descarbonização necessária do combustível não vem sendo alcançada pela atual cota de consumo. Segundo a entidade, o requisito de redução de gases de efeito de estufa, introduzido na Alemanha em 2015 é, em princípio, o caminho certo para aumentar as matérias-primas e a eficiência de custos com biocombustíveis produzidos de forma sustentável. Por essa razão, a associação afirma que a mesma cota precisa ser introduzida em toda a UE a partir de 2021.

"A mitigação no setor de transportes exige a neutralidade dos gases de efeito estufa. Devemos fazer uso de todas as opções disponíveis em vez de seguir a abordagem atual da indústria automobilística de confiar em uma possibilidade futura de produzir combustíveis sintéticos a partir de energias renováveis ??pelo mesmo preço que os combustíveis fósseis ou biocombustíveis disponíveis hoje", ressaltou a UFOP em comunicado oficial.

A entidade está convidando agentes políticos para debater os requisitos necessário para a redução de GEE através da implantação de mistura de 7% de biocombustíveis ao combustível fóssil.

"O governo federal precisa tomar essa medida como ponto de partida, para estabelecer opções de cálculo para os fabricantes que precisam reduzir as emissões de CO2, em até 95 g, em veículos novos a partir de 2021. Com, por exemplo, multas severas por excesso de grama que seriam pagos à comissão da UE ", afirma ainda o comunicado.

A UFOP também argumenta que a aviação deve ser incluída no requisito de redução de GEE, através da estimulação do uso de combustíveis alternativos para o setor.

Publicação original aqui.

Fonte: Biofuels International
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
05 jun 2020

MME abre consulta pública sobre metas de redução de emissões do RenovaBio

+
SAIBA MAIS
05 jun 2020

Queda na poluição inspira busca por soluções sustentáveis pós-pandemia

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

Como acelerar as grandes transições em prol do Desenvolvimento Sustentável na era pós-COVID?

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

Biocombustíveis: o futuro do Brasil

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

CNPE aprova medidas com vistas à retomada da economia pós-pandemia

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-911 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO