HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
27 set 2023 - 10:15
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Transição energética para além do discurso

Artigo de Alexandre Silveira, Ministro de Minas e Energia


É impossível falar em futuro sem falar em mobilidade de baixa emissão de carbono. O desafio está posto e, no Brasil, sob a condução do presidente Lula, temos aceitado essa missão, tratando o futuro das brasileiras e dos brasileiros com o objetivo inegociável de unir e reconstruir nosso país para um futuro mais justo, solidário e sustentável. Afinal, nossa atuação tem fortalecido o protagonismo do Brasil na transição energética mundial.


Essa tão aclamada transição energética posiciona nosso país no centro do mundo, não apenas pelo nosso potencial extraordinário de produção de energia limpa, mas também pela capacidade e determinação de nossa população, que escolheu um modelo de governo alinha do ao desenvolvimento sustentável e à defesa da dignidade das pessoas. Por esses motivos, o Brasil é o país certo para investir.


O Ministério de Minas e Energia está fazendo o dever de casa de mostrar ao mundo o potencial nacional. Estivemos na ONU lançando as bases concretas para a descarbonização do nosso país e do planeta e apresentando um novo conceito de geração de energia limpa. Já temos uma das maiores indústrias de biocombustíveis do planeta, com potencial e novos mercados ainda por serem explorados. Queremos que nossa energia se transforme em prosperidade e riqueza para o país.


Com esse objetivo, elaboramos o Projeto de Lei Combustível do Futuro, maior programa de descarbonização da matriz de transportes do planeta. Uma das inovações que o projeto vai criar é o Programa Nacional de Combustível Sustentável de Aviação (SAF), medida que vai diminuir as emissões de gases do efeito estufa do setor aéreo. Também será criado o Programa Nacional de Diesel Verde, reduzindo nossa dependência do combustível derivado de petróleo.


A proposta estimula ainda a produção e comercialização dos combustíveis sintéticos e integra as iniciativas da Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), do Programa Rota 2030 e do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular.


Isso vai tornar possível, também, um aumento de 27% para 30% no percentual de etanol anidro na gasolina, que tornará os motores mais eficientes. A atividade de captura e estocagem de carbono será regulamentada. Na rota da liderança do Brasil, também lançamos na Amazônia o maior programa de descarbonização do setor elétrico do mundo, com mais redes de transmissão de energia, melhor utilização do gás amazônico e implantação de painéis solares e baterias nas comunidades ribeirinhas. Relançamos ainda o Luz Para Todos. A expectativa é que mais de 500 mil famílias sejam beneficiadas até 2026. O Novo PAC deve trazer cerca de R$ 600 bilhões em investimentos para segurança e transição energética.


Ainda neste ano encaminharemos ao Congresso um moderno arcabouço legal para o hidrogênio de baixa emissão de carbono. Já estamos preparando a nossa indústria para recebermos as primeiras plantas de produção em escala industrial.


Estamos tirando a transição energética do papel, e esses são exemplos dessa estruturação plural de políticas energéticas para o pleno desenvolvimento sustentável, que tem sido pensada e executada para atender não só ao apelo do mundo pela emergência climática, mas também para ampliar nossa indústria com benefícios para a população. Para isso, precisamos contar com parceiros essenciais, como o Legislativo.


Ainda que 90% da energia elétrica produzida no Brasil seja limpa e tenhamos a tradição do etanol, queremos mais. O Brasil já avançou e se tornará o principal provedor de soluções debaixo carbono para outras nações. Já somos vanguarda na produção mundial de energia limpa. Assinamos a Aliança Global para Biocombustíveis.


Nossos esforços pela transição energética não escolhem um mercado global de cálculos, mas um rosto humano, um coração pulsante, com muitas gerações pela frente. Com diálogo permanente e com um chamado institucional- e individual- vamos garantir desenvolvimento econômico, com frutos sociais e respeito ao meio ambiente.

Fonte: Folha de S. Paulo

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
12 abr 2024

ANP autoriza teste de uso de biodiesel 100% em frota marítima fluvial

+
SAIBA MAIS
12 abr 2024

Incentivo a 'combustíveis do futuro' será debatido na Comissão de InfraestruturaFonte: Agência Senado

+
SAIBA MAIS
12 abr 2024

Luciana Santos anuncia aporte de R$ 1 milhão para pesquisa da UFPE na área de biocombustível

+
SAIBA MAIS
11 abr 2024

Governo Lula e agro se aproximam por biocombustíveis

+
SAIBA MAIS
11 abr 2024

As idosas suíças que ganharam o 1º caso sobre mudanças climáticas na Justiça

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO