HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
20 mai 2021 - 09:10
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Projeto do líder do governo estabelece política para o diesel verde por lei

Pedro Lupion assume presidência da frente parlamentar do biodiesel


O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP/PR), protocolou nesta quarta (19) um projeto de lei que cria um programa nacional de biocombustíveis avançados, incluindo o cronograma de mandatos para o diesel verde e para o bioquerosene de aviação.


Se prosperar, o marco legal do setor no Congresso Nacional retira do governo a liberdade para definir toda a regulação dos novos biocombustíveis.


Pela proposta, a partir de março de 2027, o uso de ambos os combustíveis seria obrigatório em todo o país, em misturas com o seus similares fósseis, no percentual de 2%.


O cronograma estabelece aumentos de um ponto percentual até 5% em 2030.


No caso do biodiesel, também foram feitas tentativas de estabelecer o cronograma por lei, mas a política vigente é definida pelo governo, por meio do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE).


Essa estrutura legal e regulatória permite, por exemplo, a redução pontual da mistura obrigatória de biodiesel, como ocorre do ano passado para cá.


Produtores defendem BxHx
A inserção do diesel verde (HVO) na matriz de transporte divide o mercado.


A Petrobras e outros supridores de combustíveis, segmentos do mercado de distribuição e de consumidores defendem que a regulamentação do diesel verde permita a competição entre o novo biocombustível e o biodiesel no atendimento à mistura obrigatória.


Os produtores de biocombustíveis, por sua vez, desejam que a regulamentação vá por outro caminho e o HVO desloque a parcela de diesel fóssil no combustível – algo como um B20H5, em um cenário hipotético em que a política do governo – ou a legislação – estipule a inserção de 20% de biodiesel e 5% de HVO no diesel B, vendido nos postos.


Em 2020, o deputado Jerônimo Goergen (Podemos/RS) fez uma nova tentativa na Câmara dos Deputados para estabelecer a progressão até o B20 em 2028.


O tema entrou de vez na agenda do setor em fevereiro com a definição de um grupo de trabalho liderado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) para propor a inserção do diesel verde no mercado.


Mercado mobiliza por marco legal para biocombustíveis
Na semana passada, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou a resolução que trata da especificação do diesel verde produzido a partir de fontes renováveis.


A definição acompanhou a visão dos produtores com a diferenciação de “biocombustíveis quimicamente distintos”.


Vice-líder assume frente do biodiesel
O vice-líder do governo na Câmara, deputado Pedro Lupion (DEM/PR), assumiu nesta quarta (19) a presidência da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FPBio) para a gestão 2021/2023.


Ele ocupa cargo deixado por Jerônimo Goergen (Podemos/RS).


A posse em Brasília contou com a presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e dos ministros da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes.


Bento Albuquerque, de Minas e Energia, está em viagem ao Espírito Santo em um roteiro para conhecer o setor capixaba de rochas orçamentais. O secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, José Mauro Coelho, representou o MME.


“Ninguém tem dúvida sobre a importância do biodiesel para a sustentabilidade do país. Estamos em um momento muito importante para o setor e vamos precisar do parlamento para que possamos avançar com segurança”, disse Tereza Cristina, segundo informações da FPBio.


“Este é o caminho para que o Brasil produza querosene de aviação e diesel verde”, ressaltou.


“Temos de trabalhar para que os produtores possam avançar, que as leis possam incentivar e, acima de tudo, não podemos esquecer o compromisso que o Brasil tem com a sustentabilidade e precisamos reforçar isso perante o mundo”, disse o governador do Paraná, Ratinho Jr. (PSD).


Ratinho Jr. é um dos governadores mais próximos do presidente Jair Bolsonaro.


Recuo na política do biodiesel
Segundo Erasmo Battistella, presidente do Associação dos Produtores de Biocombustíveis do Brasil (Aprobio), o primeiro desafio será retomar a agenda da mistura compulsória para 13%.


“Muitas empresas estão fazendo investimento e precisamos voltar a esse nível de mistura”, completou.


Governo mantém percentual de biodiesel reduzido para o próximo leilão
Na última quarta (12), em uma reunião com produtores, o Ministério de Minas e Energia confirmou que vai manter a mistura obrigatória de biodiesel em 10%.


A adição de biodiesel ao diesel fóssil no Brasil prevista para este ano era de 13%, conforme cronograma do CNPE.


Mas o preço do biocombustível vem acumulando altas, influenciado pela cotação do óleo de soja, principal matéria-prima.


Na tentativa de evitar um impacto no preço final do diesel vendido nos postos — e atendendo a um pedido das distribuidoras de combustíveis –, em abril, o Ministério de Minas e Energia determinou o retorno da mistura para 10% durante a realização do 79º leilão de biodiesel.


Fonte: epbr

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
18 jun 2021

ANP aprova que terminais aquaviários adicionem biodiesel ao diesel A

+
SAIBA MAIS
17 jun 2021

Francisco Turra, ex-ministro da Agricultura, é eleito presidente do Conselho de Administração da APROBIO

+
SAIBA MAIS
16 jun 2021

Estudo vê espaço aberto para os biocombustíveis

+
SAIBA MAIS
16 jun 2021

Inovações tornam a aviação mais sustentável

+
SAIBA MAIS
16 jun 2021

Biden deve propor metas modestas para biocombustíveis, diz agência

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-911 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO