HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
11 dez 2023 - 18:25
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Produtores de biodiesel do Brasil defendem antecipação de B15 para 2024

SÃO PAULO (Reuters) - Produtores de biodiesel defendem que o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) decida neste mês pela antecipação de uma mistura maior de biodiesel no diesel, elevando o percentual para 15% (B15) já a partir de 2024, uma vez que há ampla capacidade produtiva, disseram duas associações do setor nesta segunda-feira.


Pelo cronograma oficial do país, o B15 está previsto para ser implementado somente em 2026. Em abril de 2024, pela previsão atual do governo, entraria em vigor a mistura de 13%, ante 12% atuais.


Mas consta na pauta do CNPE a discussão de uma resolução que pode antecipar a mistura maior, embora sem mencionar percentuais.


A reunião do CNPE, que estava prevista para o próximo dia 14 foi adiada para o dia 18 de dezembro, segundo documento do governo visto pela Reuters.


"A Associação dos Produtores de Biocombustíveis do Brasil (Aprobio) continua a defender a antecipação da mistura para 15% de biodiesel (B15) ao diesel fóssil no curto prazo, uma vez que há grande ociosidade das usinas e também existe disponibilidade de matérias-primas", disse a entidade à Reuters, citando que a mistura maior deveria entrar em vigor no ano que vem.


O Brasil tem 61 usinas de biodiesel autorizadas, com capacidade de produzir 14,3 bilhões de litros/ano, disse a Aprobio, citando números da agência reguladora ANP.


A expectativa é de que este ano a produção de biodiesel chegue a 7,3 bilhões de litros, ocupando cerca de 50% da capacidade, acrescentou.


Ainda segundo a Aprobio, outras 13 usinas têm projetos de ampliação -- o que acrescentaria capacidade de produzir mais 0,85 bilhão de litros/ano --, e mais oito estão em construção, o que elevaria em mais 0,91 bilhão de litros/ano a capacidade.


"Quando esses projetos forem finalizados, o setor terá uma capacidade de 16 bilhões de litros/ano", disse a associação.


Segundo a Aprobio, neste cenário, não há a menor justificativa para a importação de biodiesel, e a associação espera que uma autorização neste sentido seja revogada na próxima reunião do CNPE. Essa proposta tem suporte do Ministério de Minas e Energia, uma das pastas que compõem o conselho.


"Nós queremos antecipar o B15 (previsto para abril de 2026) para março de 2024", afirmou a associação de tradings e processadoras de soja Abiove, ao ser questionada pela Reuters.


A indústria de soja responde por cerca de 70% da matéria-prima utilizada para a fabricação de biodiesel.


As associações também destacaram que o aumento do uso de biodiesel reduz a necessidade do país de importar diesel.


 


Fonte: Investing.com

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
12 abr 2024

ANP autoriza teste de uso de biodiesel 100% em frota marítima fluvial

+
SAIBA MAIS
12 abr 2024

Incentivo a 'combustíveis do futuro' será debatido na Comissão de InfraestruturaFonte: Agência Senado

+
SAIBA MAIS
12 abr 2024

Luciana Santos anuncia aporte de R$ 1 milhão para pesquisa da UFPE na área de biocombustível

+
SAIBA MAIS
11 abr 2024

Governo Lula e agro se aproximam por biocombustíveis

+
SAIBA MAIS
11 abr 2024

As idosas suíças que ganharam o 1º caso sobre mudanças climáticas na Justiça

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO