HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
16 ago 2021 - 08:51
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

MP sobre regras do mercado de combustíveis prevê respeito a contratos, indica ministério

Setor diz, no entanto, que a edição do texto atropela o processo regulatório em andamento na ANP


O Ministério de Minas e Energia (MME) afirmou que a medida provisória 1.063/2021, que altera regras do mercado de combustíveis, "prevê o respeito aos contratos, às atribuições da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e também preserva o direito do consumidor à informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços oferecidos pelo posto".


Alvo de críticas das distribuidoras e revendedores de combustíveis, a MP publicada esta semana permite que os postos bandeirados vendam combustíveis de outros fornecedores que não a distribuidora ligada à marca exclusiva da bandeira. O setor disse que a edição do texto atropela o processo regulatório em andamento na ANP. A proposta também possibilita a venda direta de etanol das usinas às revendas.


Em uma nota de esclarecimento publicada na noite de sexta-feira, a Pasta diz que a medida foi pautada nos preceitos das boas práticas regulatórias. "A ANP segue com a responsabilidade de concluir a revisão das regras de comercialização de combustíveis, garantida a ampla participação da sociedade e previsibilidade ao mercado, e prossegue fiscalizando regularmente as atividades relacionadas ao abastecimento do mercado nacional de combustíveis", afirmou o MME.


As regras de comercialização serão editadas até 9 de novembro de 2021, afirma o ministério. Entre elas, está a obrigação ao posto de identificar para o consumidor o fornecedor do produto.


O ministério ainda reiterou que o posto bandeirado "facultativamente e necessariamente observando as cláusulas contratuais firmadas entre posto e distribuidor, poderá comercializar combustíveis de outros fornecedores", para enfatizar que não será uma medida obrigatória.


A nota cita ainda que a ação está em linha com deliberações do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e busca aumentar a concorrência para beneficiar o consumidor final.


Fonte: Valor

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
17 jan 2022

Enquanto Brasil reduz, consumo de biocombustível no mundo crescerá 8%

+
SAIBA MAIS
17 jan 2022

Monitoramento do comércio de combustível de aviação ajuda no combate ao crime ambiental

+
SAIBA MAIS
14 jan 2022

Como o novo modelo de comércio de biodiesel do Brasil se comportou em sua estreia

+
SAIBA MAIS
13 jan 2022

Com ciência e tecnologia, agro brasileiro avança na redução dos impactos ambientais

+
SAIBA MAIS
13 jan 2022

Biocombustíveis proporcionariam recorde ainda maior na safra de soja, diz setor

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO