HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
25 nov 2021 - 19:04
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

MME participa da assinatura do Protocolo de Mobilidade Sustentável de Baixo Carbono no contexto do Programa Combustível do Futuro

Objetivo é estabelecer cooperação técnico-científica para promoção de estratégias de mobilidade sustentável a partir das fontes de bioenergia disponíveis no País


Foi assinado nesta quarta-feira (24/11) o Protocolo de Mobilidade Sustentável de Baixo Carbono (MSBC), documento alinhado aos objetivos do Programa Combustível do Futuro do Ministério de Minas e Energia (MME). O protocolo tem como objetivo estabelecer cooperação técnico-científica para intercâmbio de conhecimentos, informações, experiências e estudos para promover estratégia de mobilidade sustentável para o Brasil a partir das fontes de bioenergia disponíveis.


O acordo congrega entidades da bioenergia e da indústria automotiva como Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (SINDIPEÇAS), Sociedade de Engenheiros da Mobilidade (SAE Brasil) e União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).


A interação da indústria automotiva e do setor de combustíveis é fundamental para atingir os objetivos do Programa Combustível do Futuro. Criado pela Resolução do CNPE n° 7/2021, o programa busca promover a harmonização de programas e políticas públicas que agem tanto sobre o setor automotivo como de combustíveis e biocombustíveis, tais como RenovaBio, Rota 2030, Proconve e Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular.


O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, ressaltou a importância das políticas públicas de biocombustíveis e o papel de liderança do Brasil no Diálogo de Alto Nível da ONU sobre transição energética. “O Brasil se comprometeu a reduzir a intensidade de carbono da matriz de combustíveis em 10% até 2030”, disse. O ministro também destacou a cooperação bilateral com a Índia, parceiro estratégico do País no etanol.


Para o Secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME, Rafael Bastos, “a bioenergia faz parte da solução para mobilidade sustentável combinada à eletrificação”. E de acordo com o Diretor de Biocombustíveis do MME, Pietro Mendes, “o protocolo representa importante avanço na necessária cooperação entre o setor público e privado, de forma a descarbonizar o setor de transportes”.


Fonte: MME

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
06 dez 2021

ESG: Emissão de gases, crédito de carbono e padronização de informações devem ser centro das atenções em 2022

+
SAIBA MAIS
02 dez 2021

ABPA PREVÊ MENOR OFERTA DE FARELO DE SOJA E ALTA DE PREÇOS COM DECISÃO SOBRE BIODIESEL

+
SAIBA MAIS
02 dez 2021

Indústria de biodiesel e soja do Brasil crê em reversão de mistura menor

+
SAIBA MAIS
02 dez 2021

Biocombustíveis estão caminhando para a ‘comodotização’ com plataforma de negociação

+
SAIBA MAIS
02 dez 2021

Aprobio critica CNPE após redução de mistura obrigatória de biodiesel

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO