HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
14 fev 2024 - 14:15
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Matriz de combustíveis inspira cuidados

O biodiesel emerge como uma alternativa ambientalmente responsável ao diesel de origem fóssil (diesel A), trazendo benefícios significativos para o Brasil. Gerado de fontes renováveis, como óleos vegetais e gorduras animais, o biodiesel não apenas contribui para a mitigação das emissões de gases de efeito estufa, mas também apresenta vantagens notáveis em relação ao diesel mineral.


Conforme estimativas da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), a introdução do biodiesel pode evitar cerca de 80% das emissões de CO?eq. em comparação com o diesel convencional. Além disso, de acordo novamente com a EPE, a mistura de biodiesel ao diesel demonstrou consistentemente reduções substanciais de material particulado, melhorando a qualidade do ar, especialmente em centros urbanos.


Entretanto, o diesel comercial (diesel B), que é formado pelo diesel A e pelo biodiesel, enfrenta desafios significativos relacionados à preservação da qualidade, principalmente durante o armazenamento e a distribuição.


A degradação do combustível, formação de borras e contaminação por água são problemas que podem acometer tanto o diesel A quanto o biodiesel se não forem tomadas medidas simples para que os problemas não aconteçam.


Nesse contexto, a aplicação de boas práticas torna-se crucial, não apenas para garantir a eficácia da fração biodiesel, mas também para manter a qualidade do diesel. Ambos os produtos requerem os mesmos cuidados.


A cadeia de distribuição, desde o armazenamento até o abastecimento final, desempenha um papel fundamental neste processo. Conscientizar e implementar boas práticas é essencial para superar os desafios comuns dos combustíveis.


A experiência brasileira no setor de biocombustíveis coloca o país em uma posição privilegiada para liderar essa transição, promovendo a sustentabilidade em toda a cadeia de suprimentos, e as externalidades positivas de uma matriz de combustíveis mais limpa não podem ser perdidas por negligência ou falta de conhecimento acerca de medidas preventivas que garantem a qualidade do produto.


 


Panorama do diesel no Brasil
 
O óleo diesel se traduz no grande fator de desenvolvimento e criação de riqueza do país. Os motores diesel estão nos caminhões leves e pesados, nas máquinas mineradoras, nos ônibus, nas picapes, nas máquinas de construção de estradas, nos tratores agrícolas, nas colheitadeiras, plantadeiras e roçadeiras, na geração de energia, guindastes e toda uma gama de usos que faz do diesel a solução mais usada por sua alta disponibilidade, bons níveis de qualidade e preço.


Em 2023, o consumo de óleo diesel comercial foi de cerca de 65 milhões de m³, de acordo com dados parciais da ANP até novembro, o que dá uma boa ideia do potencial que existe na matriz energética brasileira de descarbonização.


A motorização diesel, por sua alta confiabilidade e versatilidade, prosseguirá por muitos anos ainda cumprindo seu papel de geração de energia. Porém, é importante que se migre para modelos de mais baixa intensidade de carbono.


Por melhores e mais sofisticados que sejam os equipamentos, continuam queimando diesel fóssil, com fração ainda modesta de biodiesel. Esse cenário precisa se ajustar de modo a incorporar cada vez mais renováveis ao diesel comercial. Essa é uma condição necessária para um futuro sustentável da matriz energética do Brasil.


Atualmente, o diesel B é o produto comercial brasileiro que contém 12% de biodiesel. A partir de março de 2024, passará a ter 14% em sua composição.


Oportuno mencionar que até a proporção de 15%, o governo atestou a qualidade do produto e sua plena compatibilidade por meio de testes com participação de toda a indústria automobilística, autopeças e máquinas em um ciclo de testes coordenado pelo MME e MCTIC.


 


Desafios e soluções
 
O diesel comercial manuseado sem cuidado pode apresentar alguns problemas que vão da formação de borras, desenvolvimento de bactérias e a degradação do próprio combustível por envelhecimento. Como consequência, pode haver falhas no funcionamento do motor, perda de potência e redução da vida útil dos filtros de combustível. A grande maioria das disfunções têm na água o principal precursor e isso independe de haver ou não biocombustíveis na mistura, ou de seu teor percentual.
 
Talvez a principal medida para evitar tais problemas seja a obrigatoriedade de drenagem da água presente nos tanques de combustível dos postos de revenda, dos tanques de abastecimento das frotas como também dos veículos e máquinas. Quanto menos frequente for o uso do equipamento, mais importante se tornará a drenagem.


Um detalhe importante: essa tarefa tem custo zero, pois os tanques de combustível possuem sistemas simples que executam esta função. Como sugestão, recomenda-se a drenagem diária, na pior das hipóteses, semanal.


Essa medida evita uma série potencial de problemas que, frise-se, acontecem independentemente da adição ou não de biodiesel, ou seja, já existiam antes da introdução do biodiesel ao diesel brasileiro em caráter voluntário a partir de 2005 e obrigatório após 2008.


 


Conclusão
 
Em resumo, o biodiesel destaca-se não apenas como uma alternativa ambientalmente amigável, mas também como uma oportunidade para impulsionar o desenvolvimento sustentável no Brasil.


Fato é que a aplicação de boas práticas é mandatória para que a qualidade do diesel comercial seja preservada e assim se possam obter todos os benefícios ambientais que o diesel – agora menos poluente com a fração renovável do biodiesel – traz para a sociedade brasileira.


 


Fonte: Globo Rural

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
12 abr 2024

ANP autoriza teste de uso de biodiesel 100% em frota marítima fluvial

+
SAIBA MAIS
12 abr 2024

Incentivo a 'combustíveis do futuro' será debatido na Comissão de InfraestruturaFonte: Agência Senado

+
SAIBA MAIS
12 abr 2024

Luciana Santos anuncia aporte de R$ 1 milhão para pesquisa da UFPE na área de biocombustível

+
SAIBA MAIS
11 abr 2024

Governo Lula e agro se aproximam por biocombustíveis

+
SAIBA MAIS
11 abr 2024

As idosas suíças que ganharam o 1º caso sobre mudanças climáticas na Justiça

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO