HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
13 jul 2023 - 17:22
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Conselheiro do CDESS, Erasmo Carlos Battistella propõe 10 ações e a criação do Plano Nacional de Transição Energética (PNTE 2050)

Conselheiro do CDESS, Erasmo Carlos Battistella propõe 10 ações e a criação do Plano Nacional de Transição Energética (PNTE 2050)

Conselheiro convidado do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável, Erasmo Carlos Battistella, Presidente da Be8, apresentou na primeira reunião do Grupo de Trabalho Transição Energética, nesta quinta-feira (13/07), uma proposta de 10 ações para compor um Plano Nacional de Transição Energética com o alvo até 2050 (PNTE 2050). O objetivo é que esta seja uma grande plataforma de investimento desse setor estratégico até 2050.


As propostas envolvem ações direcionadas para produção, uso e exportação de Biodiesel, Etanol, Biocombustíveis Avançados, Hidrogênio, Biogás e Biometano. Também aborda aspectos que envolvem descarbonização do setor petroquímico, financiamento verde, a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio) e o mercado de carbono. A ideia é que o PNTE 2050 seja compartilhado com os países membros do Mercosul para que estimule o uso de biocombustíveis na região de forma integrada.


A indicação também é que o programa macro e transversal de transição energética seja apresentado durante a 28ª Conferência de Mudanças Climáticas da ONU (COP 28) com o objetivo de reforçar a posição protagonista do país nesse novo momento na energia global, transformando o evento numa plataforma de atração de investimentos para esse setor estratégico do país.


“Todos os temas têm elevada pluralidade e um aspecto multidimensional importante, que são condições capazes de promover desenvolvimento econômico, sustentável e com impactos positivos ao meio ambiente. Os biocombustíveis e combustíveis de baixo carbono são oportunidade de mercado com elevada maturidade técnica e prontos para serem introduzidos com baixo custo de transição em comparação aos veículos elétricos, sem demandar a antecipação de investimentos e forçar uma renovação de frotas”, explicou Battistella.


Além de contar com uma capacidade já instalada de produção, os biocombustíveis usam as mesmas infraestruturas de distribuição, de logísticas e de tancagem que movimentam os combustíveis fósseis. Além disso, são uma solução competitiva pronta para uso para promover a transição energética e a descarbonização.


“Tomei a liberdade de oferecer essa pauta ao grupo de trabalho para superarmos no curto prazo os desafios da transição energética ao mesmo tempo em que beneficia o país e sua sociedade no desenvolvimento sustentável, com saúde, proteção ao meio ambiente e crescimento econômico e de emprego”, explicou Battistella.


Ele destacou no documento que “vivemos um ponto alarmante no planeta, com o registro de recordes constantes de temperaturas médias e especialistas estimam que esse indicador pode ser superado mais vezes ainda este ano”. O alerta da Organização Mundial Meteorológica das Nações Unidas indica que há 66% de chances de a média anual de aquecimento ultrapassar 1,5 °C entre 2023 e 2027, limite apontado como seguro no Acordo de Paris.


De acordo com o empresário, “a transição energética é mais do que um plano de trabalho. Ela depende do senso de urgência de toda uma sociedade para a real compreensão da dimensão dos impactos da mudança climática. Há tempo para mudança, mas ele é um recurso escasso”.


O Brasil é reconhecidamente uma potência global verde e a bioenergia ocupa relevante papel no curto, médio e longo prazos. Fontes de energia de qualidade, ambientalmente sustentável e que promovam a redução nas emissões de gases de efeito estufa são oportunidades para o desenvolvimento do país.


“Somos exemplo de matriz energética limpa com opções para aumentar a atividade econômica, agregando valor à sua grande produção agrícola e ainda promovendo a sua expansão de forma completamente sustentável, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa e gerando renda e qualidade de vida para a população”, completou.


Confira aqui as propostas.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
15 jul 2024

Produção de etanol e de biodiesel volta a crescer e bate recorde

+
SAIBA MAIS
15 jul 2024

Descubra como é feito o biodiesel

+
SAIBA MAIS
15 jul 2024

ANP aprova comercialização de bunker com biodiesel pela Petrobras

+
SAIBA MAIS
12 jul 2024

ANP autoriza comercialização de combustível marítimo com biodiesel

+
SAIBA MAIS
12 jul 2024

Reforma tributária: relatório garante diferencial entre combustível fóssil e biocombustível

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO