HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
14 jun 2024 - 10:26
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Comissão de Transições Energéticas afirma que os países podem triplicar a ambição climática até a COP30

Em seu mais recente briefing, Credible Contributions: Bolder Plans for Higher Climate Ambition in the Next Round of NDCs, o ETC (Comissão de Transições Energéticas) pede a colaboração da industria  e do governo para aumentar a ambição da próxima rodada de Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs) até a COP30. Se quisermos limitar o impacto das mudanças climáticas, as NDCs podem e devem refletir o potencial técnico e reforçar o progresso existente, definindo metas mais ambiciosas com vínculos mais fortes com as políticas nacionais. Ao definir uma direção clara e reduzir a incerteza, a próxima rodada de NDCs pode acelerar ainda mais a implementação de tecnologias de energia limpa.  


Desde que o Acordo de Paris foi assinado na COP21, os países são obrigados a apresentar e aumentar as promessas climáticas nacionais a cada cinco anos. A próxima apresentação está prevista para o ano que vem. Essas NDCs, como são conhecidas, servem como roteiros de alto nível para a ação climática nacional, estabelecendo metas de redução de emissões em períodos de 10 anos. O sucesso da transição de baixo carbono até o momento foi impulsionado pela resposta do setor às metas do governo - acelerando a implantação e reduzindo os custos. O setor reconhece a oportunidade na próxima rodada de NDCs e pede que os governos priorizem a entrega de NDCs de alta ambição que proporcionem segurança, desbloqueiem investimentos e acelerem a implantação de tecnologias. 



Terceira rodada de NDCs prevista para 2025 


Atualmente, as emissões globais de gases de efeito estufa estão em um recorde histórico (~59 GtCO2 e)[1] e continuam a aumentar. Se forem totalmente alcançadas, as metas atuais da NDC definidas em 2020 deverão proporcionar apenas ~6 GtCO2e de redução de emissões por ano até 2035. Esse número está longe da redução de ~23-30 GtCO2 e necessária até 2035 para um caminho alinhado a 1,5°C. 


De acordo com o ETC, se os governos refletirem os compromissos políticos existentes assumidos na COP28 e nacionalmente, além do progresso tecnológico mais recente na próxima rodada de NDCs, os níveis gerais de ambição poderiam quase triplicar. Isso alcançaria ~18 GtCO2e de mitigação por ano em 2035 e colocaria o mundo em uma trajetória para limitar o aquecimento a 2°C. 


Um rápido progresso está sendo feito. Muitas das principais tecnologias da transição energética já atingiram pontos de inflexão para um crescimento que se reforça automaticamente, e políticas nacionais sólidas apoiam a aceleração da fabricação e da implantação em todo o mundo. Por exemplo, novas instalações de energia eólica e solar agora atendem a mais de 90% do crescimento da demanda global de energia. Os veículos elétricos agora representam 18% das vendas globais de veículos de passeio e até 20% e 40% das vendas na Europa e na China, respectivamente. As tecnologias e políticas necessárias para descarbonizar a indústria pesada e o transporte de longa distância estão alcançando prontidão comercial. 


Além disso, na COP28, cerca de 200 países se comprometeram a triplicar a capacidade de energia renovável, dobrar o ritmo de melhoria da eficiência energética até 2030 e fazer a transição para o sistema de energia sem combustíveis fósseis. 


"A indústria escalou rapidamente a fabricação e a implantação de tecnologias de energia limpa com o apoio e os compromissos políticos existentes. A maior ambição na próxima rodada de NDCs na COP30 tem o potencial de reforçar e acelerar esse ciclo de feedback positivo. A colaboração entre a indústria e o governo para que se comprometam com planos mensuráveis, viáveis e investíveis é fundamental para impulsionar a ação." Adair Turner, Presidente da Comissão de Transições Energéticas. 


Os compromissos existentes e o progresso incorporado oferecem espaço para um grande fortalecimento significativo das NDCs, mas ir além dos 2°C para alinhar as NDCs a um caminho de 1,5°C exigirá ainda mais ações. Será necessário um progresso mais rápido para interromper o desmatamento, eliminar gradualmente o carvão do sistema energético e acelerar a entrega de projetos em setores industriais e transportes de difícil redução de carbono. 


 


As "NDCs 3.0" devem ajudar a transformar a ambição em ação 


É necessária uma maior ambição por parte do governo e indústria para estimular a implantação acelerada de tecnologias de energia limpa, mas a ambição, por si só, não trará progresso. A ETC recomenda que as "NDCs 3.0" definam: 


Roteiros claros e detalhados para a implementação de ações climáticas aceleradas com o apoio de uma política governamental sólida (por exemplo, metas quantitativas para GW de energias renováveis, datas de eliminação gradual das proibições de venda de veículos com motores a gasolina ou diesel).
Metas mensuráveis, abrangentes (cobrindo todos os setores e gases de efeito estufa) e detalhadas para a redução de emissões.
Planos de investimento, especialmente para os mercados emergentes, indicando claramente o investimento e o financiamento climático internacional necessários para atingir as metas estabelecidas.


"Triplicar a ambição na próxima rodada de NDCs é viável se os governos refletirem o rápido progresso tecnológico obtido na transição energética até o momento e os compromissos existentes que assumiram. Isso nos colocaria muito mais próximos da meta do Acordo de Paris. Mas para limitar o aumento da temperatura global a apenas 1,5°C, a ambição deve ser ainda maior. Seria necessário um fim imediato ao desmatamento, a rápida eliminação do carvão globalmente, e o progresso acelerado na indústria pesada e no transporte." Ita Kettleborough, Diretora da Comissão de Transições Energéticas. 


As prioridades serão diferentes de acordo com o país, mas o briefing do ETC destaca que, para todos os países, independentemente do nível de ambição, implementação e financiamento, é possível uma mudança radical na ambição na próxima rodada de NDCs. Apoiar as NDCs com planos de transição detalhados pode desbloquear o investimento e a ação da indústria necessários para atingir esses objetivos. 



Fonte: Broadcast

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
15 jul 2024

Produção de etanol e de biodiesel volta a crescer e bate recorde

+
SAIBA MAIS
15 jul 2024

Descubra como é feito o biodiesel

+
SAIBA MAIS
15 jul 2024

ANP aprova comercialização de bunker com biodiesel pela Petrobras

+
SAIBA MAIS
12 jul 2024

ANP autoriza comercialização de combustível marítimo com biodiesel

+
SAIBA MAIS
12 jul 2024

Reforma tributária: relatório garante diferencial entre combustível fóssil e biocombustível

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO