HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
07 dez 2022 - 17:14
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

A produção SAF de 2022 aumenta 200% - mais incentivos necessários para atingir emissões zero

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) estima que a produção de combustível de aviação sustentável (SAF) atingirá pelo menos 300 milhões de litros em 2022 – um aumento de 200% em relação à produção de 100 milhões de litros em 2021. Cálculos mais otimistas estimam que a produção total em 2022 pode chegar a 450 milhões de litros. Ambos os cenários posicionam a indústria de SAF à beira de uma capacidade exponencial e aumento da produção em direção a um ponto de inflexão identificado de 30 bilhões de litros até 2030, com as políticas de apoio corretas.


As companhias aéreas estão comprometidas em atingir zero emissões líquidas de CO2 até 2050 e veem o SAF como um dos principais contribuintes. As estimativas atuais esperam que o SAF responda por 65% da mitigação necessária para isso, exigindo uma capacidade de produção de 450 bilhões de litros anuais em 2050.


Tendo concordado com um Objetivo Aspiracional de Longo Prazo (LTAG) sobre o clima na 41ª Assembleia da Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) em outubro de 2022, os governos agora compartilham a mesma meta para a descarbonização da aviação e o interesse no sucesso do SAF.


“Houve pelo menos o triplo da quantidade de SAF no mercado em 2022 do que em 2021. E as companhias aéreas usaram cada gota, mesmo com preços muito altos! Se houvesse mais disponível, teria sido comprado. Isso deixa claro que é uma questão de oferta e que as forças do mercado por si só não são suficientes para resolvê-la. Os governos, que agora compartilham a mesma meta de zero líquido para 2050, precisam implementar incentivos de produção abrangentes para SAF. É o que eles fizeram para fazer a transição bem-sucedida das economias para fontes renováveis de eletricidade. E é disso que a aviação precisa para descarbonizar”, disse Willie Walsh, diretor-geral da IATA.


Até o momento, mais de 450.000 voos comerciais foram operados usando SAF, e o número crescente de companhias aéreas assinando acordos de compra com produtores envia um sinal claro aos mercados de que SAF é necessário em maiores quantidades e, até agora, em 2022, cerca de 40 acordos de entrega foram sido anunciado.


Políticas baseadas em incentivos


Até que tenhamos opções comercializadas para fontes alternativas de energia, como o hidrogênio, todo o suprimento SAF da aviação será derivado de refinarias de biocombustíveis. Essas refinarias produzem biodiesel renovável, biogás e SAF e sua capacidade de refino deve crescer mais de 400%% até 2025 em comparação com 2022. O desafio para a aviação é garantir o fornecimento de SAF a partir dessa capacidade. E para fazer isso com sucesso, os governos precisam implementar incentivos de produção de SAF semelhantes aos que já existem para biogás e biodiesel.


Fonte: IATA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
14 jun 2024

Comissão de Transições Energéticas afirma que os países podem triplicar a ambição climática até a COP30

+
SAIBA MAIS
14 jun 2024

Empresas brasileiras se instalam nos EUA para aproveitar incentivos à energia limpa

+
SAIBA MAIS
14 jun 2024

Primeiras operações logísticas e agrícolas com uso de Biodiesel 100% mostram o potencial dos combustíveis verdes no Brasil

+
SAIBA MAIS
14 jun 2024

Alexandre Silveira reforça papel mundial do Brasil na transição energética

+
SAIBA MAIS
14 jun 2024

G20 é oportunidade para mudar visão sobre América Latina, dizem líderes

 

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO