HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
06 abr 2021 - 14:40
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

A política de emissões de CO? é imperfeita e prejudica a descarbonização do transporte comercial

Os veículos comerciais pesados, incluindo ônibus e caminhões, emitem apenas 950 milhões de toneladas de CO2 medidos anualmente no cano de escapamento, usando o padrão do “tanque para a roda”, o que representa cerca de 2,5% das emissões globais.


Embora o hidrogênio e a eletricidade sejam frequentemente vistos erroneamente como combustíveis com emissão zero, se todas as emissões de CO2 forem levadas em consideração, incluindo a rota do poço ao tanque, surge uma imagem mais realista da emissão do carbono desses combustíveis alternativos. Na Europa, apenas nos EUA e na China, em média, isso adicionaria 45% mais CO2 para eletricidade e 72% a mais para hidrogênio em comparação ao diesel convencional, com base na matriz energética atual.


Uma transição para combustíveis como eletricidade e hidrogênio para veículos pesados, sem o uso de fontes de energia de baixo ou zero carbono, deixaria, portanto, de contabilizar entre 400 e 700 milhões de toneladas de emissões anuais de CO2.


“A descarbonização do transporte comercial é um trabalho enorme e caro. A combinação certa de incentivos e investimento para acelerar alternativas de baixo carbono e eventualmente emissão zero para atender às metas de 2030 e 2050 só pode ser alcançada se o CO2 for contabilizado corretamente ”, disse o secretário-geral da IRU (Organização Mundial de Transporte Rodoviário), Umberto de Pretto.


“O padrão tanque-roda, medindo as emissões no cano de escapamento em vez de fazer uma avaliação completa do poço-roda, continuará a distorcer a ação política para reduzir o CO2 no transporte rodoviário comercial. Os operadores de transporte rodoviário precisam de certezas à medida que continuam trabalhando no enorme desafio de descarbonizar efetivamente suas frotas e operações, e não opções de fantasia inviáveis”, acrescentou.
A IRU estimula os formuladores de políticas a usarem o padrão mais abrangente da cadeia até à roda para avaliar e planejar investimentos e incentivos de descarbonização. Isso permitirá aos operadores de transporte rodoviário comercial descarbonizar o mais eficaz e rapidamente possível.


Fonte: IRU

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
28 set 2021

Bolsonaro aprova resoluções relacionadas à exploração de petróleo e gás natural

+
SAIBA MAIS
28 set 2021

O que são combustíveis fósseis e como viveremos sem eles no futuro próximo?

+
SAIBA MAIS
28 set 2021

Como o Brasil pode embarcar no mercado bilionário de créditos de carbono?

+
SAIBA MAIS
27 set 2021

Em carta, grandes empresas pedem protagonismo do Brasil na agenda verde

+
SAIBA MAIS
27 set 2021

Comissão realiza debate sobre a mistura do biodiesel nos combustíveis

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO