HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONTATO
NOTÍCIA
17 jul 2020 - 16:30
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

A importância da análise das condições de produção do diesel com coprocessamento

Notícia divulgada no dia 14 de julho sobre teste de produção de combustível pelo processamento de óleo vegetal misturado a correntes de petróleo na refinaria certamente é um avanço importante, mas há aspectos na nota que suscitam perguntas.


Conforme a nota divulgada uma quantidade de óleo de soja foi processada e, ao final, o teste produziu uma quantidade 20 vezes maior de óleo diesel. A informação sobre os demais coprodutos na campanha não foi detalhada. Assim, não é possível indicar de maneira segura qual a real concentração de material de origem não fóssil foi extraída na faixa do diesel e quanto foi para as demais correntes.


O processo de refino é complexo e, diferente da produção de biodiesel, produz vários produtos simultaneamente. Até mesmo uma unidade dedicada ao processamento exclusivo de óleos vegetais para produção de diesel verde gera coprodutos que podem ser enquadrados como bioquerosene de aviação, gasolina verde, nafta verde ou mesmo propano.


Assim, a quantidade real que saiu do processo na condição de diesel com origem renovável, ao final do processamento, é questionável. Parte pode ter se transformado em QAV, propano ou outro produto – até mesmo gasolina com parte de origem renovável –, isso sem considerar as perdas.


Somente uma segregação da campanha e análise, como a descrita na ASTM D6866*, poderia comprovar a real fração de biocombustível produzida. Destaque-se que as condições de processamento podem alterar estes percentuais. Acredita-se que a dificuldade de comprovação seja um dos motivos que leva a Alemanha a não considerar como biocombustível o produto resultante de coprocessamento de matéria-prima renovável em refinarias de petróleo. Uma situação diferenciada de unidades dedicadas ao processamento destas matérias-primas, ainda que próximas ou associadas a uma refinaria.


*Método padrão de análise desenvolvido pela ASTM International (American Society for Testing and Materials) para determinar o conteúdo de carbono biogênico/de base biológica em amostras sólidas, líquidas e gasosas, através da análise por radiocarbono.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
25 set 2020

RenovaBio: ANP revisa metas individuais de distribuidores para 2020

+
SAIBA MAIS
25 set 2020

Grupo de Trabalho Intercâmaras do MAPA avança sobre proposta comum para Reforma Tributária

+
SAIBA MAIS
25 set 2020

Setor avalia oferta e demanda de biodiesel para L76 em reunião de Monitoramento do Abastecimento do Biodiesel

+
SAIBA MAIS
21 set 2020

RenovaBio: ANP realiza webinar e programa atinge 9 milhões de créditos de descarbonização (CBIOs)

+
SAIBA MAIS
18 set 2020

APROBIO defende na ANP que Diesel Verde é novo biocombustível: produto exige especificação, marco regulatório e cadeia produtiva própria

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-911 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO