HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CONHECA O BIODIESEL
CONTATO
NOTÍCIA
10 jan 2017 - 12:11
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Os efeitos da poluição na sua saúde

Além da redução da chuva e da umidade no ar, outra consequência da atuação prolongada de um sistema de alta pressão atmosférica é piorar a qualidade do ar. A concentração de poluentes aumenta com a diminuição da chuva e dos ventos, que são os verdadeiros 'faxineiros' da atmosfera.

A poluição não está apenas nos centros urbanos. Não é só a fumaça dos carros, ônibus e caminhões que polui o ar. O ar fica poluído também no interior e no litoral. A poeira, grãos de pó de diferentes tamanhos ficam suspensos naturalmente no ar quando uma região fica muitos dias sem chuva e com pouco vento. Esta poeira é chamada de material particulado (MP). Tem também a poluição causada por queimadas e pela atividade industrial. Mas o ar pode ficar poluído por outros elementos que não vemos e não sentimos o cheiro.



As cores da poluição

Para facilitar a comunicação com a população sobre como está o nível de poluição, foi criado um padrão de cores que é usado internacionalmente. A cada cor, do verde (qualidade do ar boa) ao roxo (qualidade do ar péssima), existe uma faixa de concentração de poluentes correspondente.



A poluição que você não vê

Quando faltam vento e chuva por vários dias consecutivos, o ar fica empoeirado. É possível até perceber a poeira suspensa no ar. Mas o ozônio não é visível, não tem cheiro e nem cor.

O ozônio existe naturalmente na atmosfera. É a camada de ozônio (entre 20 km/m e 35 km de altitude) que envolve o planeta Terra que nos protege da radiação ultravioleta que chega do espaço.

Mas o ozônio se torna um poluente perigoso para a saúde humana quando sua concentração aumenta nas camadas de ar próximas da superfície, que é onde está o ar que respiramos.

É em dias ensolarados, sem nuvens ou com pouca nebulosidade, que a concentração deste elemento químico aumenta. É a luz solar que faz a reação fotoquímica na atmosfera a partir da qual surge o ozônio. Assim, dias ensolarados, com céu praticamente todo azul, são os mais favoráveis para a formação do ozônio porque temos muitas horas de sol forte, uma grande insolação (número de horas de sol).

Continue lendo aqui 

Fonte: Climatempo
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
19 mai 2022

Decreto cria mercado regulador de crédito de carbono no Brasil

+
SAIBA MAIS
19 mai 2022

ONU lança plano para impulsionar uso de energias renováveis

+
SAIBA MAIS
19 mai 2022

Por que engolimos o que a indústria petroleira e os ambientalistas nos dizem?

+
SAIBA MAIS
18 mai 2022

O biodiesel pode ajudar a combater as desigualdades de saúde em comunidades carentes de Justiça Ambiental

+
SAIBA MAIS
18 mai 2022

Dez países que estão recuando nas políticas para biocombustíveis

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-001 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO