HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONTATO
NOTÍCIA
06 jun 2019 - 08:54
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Mudanças climáticas causam prejuízo de US$ 1 trilhão para grandes empresas, aponta estudo

Relatório divulgado na Alemanha sugere que muitas empresas ainda subestimam os perigos relacionados ao fenômeno




Mais de 200 das maiores empresas do mundo deverão perder US$ 1 trilhão por causa das mudanças climáticas, grande parte disso apenas nos próximos cinco anos, informa um relatório divulgado na Alemanha. Entre os fatores que afetam os negócios estão o aumento das temperatura, o clima caótico e os preços colocados sobre a emissão de gases do efeito estufa. O alerta é feito no Dia Mundial do Meio Ambiente.




O estudo - realizado pela Organização Não Governamental CDP - sugere que muitas empresas ainda subestimam os perigos relacionados ao fenômeno, enquanto os cientistas alertam que o clima da terra se encaminha para limites catastróficos caso não haja reduções nas emissões de carbono na atmosfera.




- A maioria das empresas ainda tem muito a caminhar em termos de avaliar adequadamente os riscos relacionados ao clima - afirmou Nicolette Bartlett, diretora para Mudanças Climáticas da CDP e autora do relatório.




Fundada no ano 2000, a CDP (antigamente chamada de Projeto de Transparência do Carbono - nome que originou a sigla em inglês) é um organismo respeitado dentro de uma crescente coalizão de grupos de lobby, administradores de fundos, bancos centrais e políticos que acreditam que as mudanças climáticas representem um risco sistêmico para o sistema financeiro.



Metas climáticas





Ao forçar as empresas a enfrentar os riscos às suas operações, os defensores de mais transparência esperam fazer avançar investimentos suficientes na indústria para reduzir as emissões, a tempo de cumprir as metas climáticas.




O CDP analisou dados de 215 das maiores indústrias do mundo, como Apple, Microsoft, Nestlé, Unilever, China Mobile, Infosys, UBS, Sony e BHP.




Essas empresas já teriam tido prejuízos de US$ 970 bilhões em custos adicionais devido a fatores como o aumento das temperaturas, clima caótico e o preço colocado sobre as emissões de gases causadores do efeito estufa.




Cerca de 50% desses custos são considerados prováveis ou praticamente certos.




Segundo o relatório, as companhias poderiam obter amplas vantagens com um mundo descarbonizado a tempo de evitar os cenários climáticos mais tenebrosos, que os cientistas acreditam representar um risco existencial para a civilização industrial.




As preocupações com os riscos representados pelo clima aumentaram de modo acentuado, paralelamente ao crescimento do ativismo ecológico em muitos países, enquanto ondas de calor, secas, incêndios florestais e tempestades reforçadas pelo clima se tornam cada vez mais difíceis de serem ignoradas.

Fonte: Gauchazh

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
27 mar 2020

Coronavírus não afetou a capacidade operacional do setor de biodiesel

+
SAIBA MAIS
27 mar 2020

RenovaBio: portaria traz alterações sobre processo de CBIOs

+
SAIBA MAIS
24 mar 2020

Ruas vazias e freio na poluição: Meio Ambiente se beneficia com expansão do coronavírus

+
SAIBA MAIS
20 mar 2020

Quais setores lideram a luta contra as mudanças climáticas

+
SAIBA MAIS
20 mar 2020

Influência do aquecimento global em eventos climáticos extremos tem sido frequentemente subestimada

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-911 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO