HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONTATO
NOTÍCIA
04 dez 2018 - 10:28
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Leilão 64 tem aumento da oferta de biodiesel

Transcorreu sem qualquer sobressalto a Etapa 2 do 64º Leilão de Biodiesel. As 39 usinas participantes do pregão convocado para abastecer o mercado brasileiro durante o primeiro bimestre de 2018, fizeram ofertas beirando os 1,05 bilhão de litros. A quantidade ofertada supera em praticamente 20 milhões de litros - 1,9% - o resultado apurado no leilão do bimestre anterior.

Em termos absolutos, essa é a segunda maior oferta já feita desde que os leilões de biodiesel se tornaram bimestrais. Ela perde somente para os 1,09 bilhão de litros que foram colocados à venda no L62.

Entre todas as usinas participantes, a Granol de Anápolis foi a mais ambiciosa com 70 milhões de litros de biodiesel colocados à venda. Ao todo, 16 usinas colocaram toda sua capacidade produtiva a venda.

Suficiente

O volume ofertado deverá ser mais que suficiente para atender toda a demanda projetada pelo mercado. A previsão de BiodieselBR.com, é que as distribuidoras arrematem algo em torno dos 950 milhões de litros de biodiesel o que leva em conta não somente a chegadas do B10 em março passado como, também, sinaliza um aumento robusto no mercado de óleo diesel.

A projeção apresentada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) durante a reunião mais recente da Comitê de Monitoramento do Abastecimento de Biodiesel (CMAB) foi mais otimista. A aposta da agência reguladora é que a demanda ficará entre 965 e 985 milhões de litros.

Mesmo que a projeção mais otimista se confirmasse, ainda restaria cerca de 64,5 milhões de litros para atender ao mercado voluntário e garantir o leilão de estoques.

Apertado

Com esse resultado, as ofertas dos fabricantes - que haviam dado um passo atrás no L63 - voltaram a apontar para cima. As usinas colocaram 81,8% de toda sua capacidade instalada à disposição do mercado.

Embora tenha havido uma pequena recomposição sobre os 80,4% ofertados no L63, a relação entre oferta e capacidade ainda ficou abaixo da que vinha sendo registrada nos leilões mais recentes. Entre o L59 e o L62, o percentual variou de 83,3% até 86,5%.

Apesar de não estar mais tão apertado quanto alguns meses atrás, esse será o sexto leilão consecutivo em que as usinas colocam mais de 80% de sua capacidade a venda.

Preços

Com o leilão mais disputado, os preços se mantiveram em tendência de alta. Em média, as usinas pediram R$ 2.566,32 por cada metro cúbico de biodiesel que venderem. Esse valor é 1,1% maior do que na mesma etapa do leilão passado e dá continuidade a uma tendência de alta nos preços que vem se sustentando - de forma consideravelmente estável - desde o L54.

O deságio em relação aos preços máximos de referência (PMRs) anunciados pela ANP nessa última sexta-feira (30) passou dos 20,5%.

Fonte: BiodieselBR
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
09 jul 2020

Brasil retoma posto de maior produtor de soja do planeta

+
SAIBA MAIS
07 jul 2020

Seminário discutirá como RenovaBio pode reverter aquecimento global

+
SAIBA MAIS
06 jul 2020

Soja: Brasil pode colher até 166 milhões de toneladas em 2028/2029, diz Fiesp

+
SAIBA MAIS
03 jul 2020

Balanço de maio e junho reforça compromissos de produção e entrega do setor de biodiesel

+
SAIBA MAIS
03 jul 2020

Em live, Bento Albuquerque afirma que Brasil está pronto para a retomada

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-911 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO