HOME
ASSOCIAÇÃO
QUEM SOMOS
ASSOCIADAS
PRETENDENTES
LEGISLAÇÃO
SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL
RENOVABIO
ESTUDOS TÉCNICOS
PNPB
LEGISLAÇÃO
MERCADO
SUSTENTABILIDADE
NOTÍCIAS
CONTATO
NOTÍCIA
29 set 2017 - 04:00
COMPARTILHAR
Compartilhar - Linkedin
Compartilhar - Facebook
Compartilhar - Twitter

Argentina busca preço mínimo de biodiesel em vez de tarifas nos EUA

BUENOS AIRES, 28 de setembro (Reuters) - O governo argentino está negociando um preço mínimo para as exportações de biodiesel para os Estados Unidos, na expectativa de substituir as tarifas punitivas implementadas no mês passado, disse um funcionário do Ministério das Relações Exteriores à Reuters.

Horacio Reyser, secretário de Relações Econômicas Internacionais do Ministério das Relações Exteriores, informou que foi apresentado um acordo ao Departamento de Comércio dos EUA que visa estabelecer um piso para o valor do biodiesel argentino. Em agosto, Washington decidiu implantar tarifas de quase 65 por cento sobre as importações de biodiesel da Argentina, mediante o argumento de dumping. Reyser ressalta que um eventual acordo precisaria da aprovação dos produtores do US National Biodiesel Board.

"Eu acho que não deve haver problema (ao chegar a um acordo), mas isso dependerá da aceitação do setor privado", disse Reyser, acrescentando que, se as negociações não tiverem sucesso, a Argentina se reserva ao direito de contestar as tarifas dos EUA na Organização Mundial do Comércio (OMC).

Os produtores argentinos afirmaram que a medida imposta pelos EUA resultou na paralisação imediata das exportações de biodiesel ao país, destino de quase 90% do biodiesel produzido pela Argentina em 2016.

O Departamento de Comércio dos EUA não respondeu imediatamente ao pedido de comentários. A Embaixada dos EUA na Argentina também não quis comentar a proposta. Já a Câmara Argentina de Biocombustíveis, Carbio, ressaltou que apoia as negociações por um preço mínimo.

Os Estados Unidos argumentam que o preço do produto argentino é distorcido devido aos altos impostos que o país aplica às suas exportações de soja e óleo de soja, o que permite que os produtores argentinos tenham acesso às matérias-primas utilizadas para a produção de biodiesel a um preço mais baixo.

A Argentina contestou com sucesso as tarifas impostas ao seu biodiesel pela União Européia na OMC. Neste mês, o bloco finalmente reduziu as tarifas impostas desde 2013 ao país.

Fonte: Reuters, publicada na Nasdaq
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
05 jun 2020

MME abre consulta pública sobre metas de redução de emissões do RenovaBio

+
SAIBA MAIS
05 jun 2020

Queda na poluição inspira busca por soluções sustentáveis pós-pandemia

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

Como acelerar as grandes transições em prol do Desenvolvimento Sustentável na era pós-COVID?

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

Biocombustíveis: o futuro do Brasil

+
SAIBA MAIS
04 jun 2020

CNPE aprova medidas com vistas à retomada da economia pós-pandemia

+
SAIBA MAIS
TODAS AS NOTÍCIAS
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 – cj. 91
Jardim Paulistano
01452-911 – São Paulo/SP
+55 11 3031-4721
APROBIO