18 de dezembro de 2017

O que fazemos

No desempenho de suas atribuições, a Associação articula toda a interlocução institucional junto a ministérios e demais esferas da administração direta federal, num total de mais de 15 órgãos, inclusive a Comissão Executiva Interministerial do Biodiesel, na defesa dos interesses do setor produtivo.

Além disso, a APROBIO mantém relacionamento institucional com as demais entidades da cadeia produtiva da matriz energética veicular do país, bem como com a comunidade acadêmica e científica, na busca de trabalhos conjuntos para investimentos em P&D de novas tecnologias e diversificação de matérias primas.

Dentre os levantamentos realizados foi encomendado um estudo à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) sobre os “Impactos Socioeconômicos da Indústria de Biodiesel do Brasil”. Segundo a FIPE, a produção nacional de biodiesel, iniciada em 2005, aumentou a ponto de o país se tornar o 4º maior produtor e o 2° maior consumidor mundial de biodiesel em 2011.

Uma grande conquista recente do setor foi a edição da Medida Provisória 647 em maio de 2014, convertida na Lei 13.033 pelo Congresso Nacional em setembro, que aumentou o percentual da mistura obrigatória de 5% para 7% em volume, válido desde 1º de novembro do mesmo ano.

A evolução do mercado de biodiesel no Brasil representa um avanço significativo para o país, que se consolidará como o segundo maior produtor e consumidor do biocombustível no planeta. A Associação busca, contudo, a edição de um novo marco regulatório, baseado na previsibilidade e que transmita segurança regulatória e jurídica, de forma a orientar os investimentos do setor em um horizonte de médio e longo prazo.

O programa de biodiesel brasileiro concilia política energética com inclusão social e econômica, ao introduzir a agricultura familiar na cadeia produtiva. A medida já transferiu cerca de R$ 10 bilhões para famílias de pequenos produtores em todo o país e faz do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) o único do mundo neste sentido.

Como em todo o setor que amadurece e se consolida, a produção de biodiesel no Brasil tem procurado administrar custos e remuneração de investimentos com modicidade e equilíbrio, dentro de um ambiente de preços regulados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O biodiesel brasileiro investe pesado em tecnologia sofisticada para atender às rígidas exigências de qualidade técnica, mais rigorosas que as praticadas na Europa, por exemplo.

A atuação da Associação tem rendido, em pouco mais de cinco anos, o reconhecimento de autoridades, imprensa e demais atores da cadeia produtiva, de forma a situar a entidade como referência técnica e institucional.

FIQUE SABENDO DE NOSSAS NOVIDADES


aprobio@aprobio.com.br
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1903 - Conj. 91 - Jd. Paulistano - 01452-911 - São Paulo - SP - Tel: 55 11 3031- 4721

Back to Top