Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Escrito em

Emissões mundiais de CO2 voltam a crescer após três anos de estabilidade

Emissões mundiais de CO2 voltam a crescer após três anos de estabilidade © by FOTO: SEAN GALLUP/GETTY IMAGES)

Estudo é elaborado anualmente por cerca de 80 cientistas de 15 países

As emissões mundiais de dióxido de carbono (CO2) procedentes da queima de combustíveis fósseis crescerão 2% em 2017 após três anos de estabilidade, devido fundamentalmente ao maior uso de carvão na China, segundo demonstra o Orçamento Global de Carbono. O estudo, denominado em inglês Carbon Budget Project, que é elaborado anualmente por cerca de 80 cientistas de 15 países e que será publicado na revista científica “Nature Climate Change”, foi apresentado nesta segunda-feira pelos seus autores principais na Cúpula do Clima de Bonn (COP23).

A sua principal conclusão é que 2017 fechará com 37 bilhões de toneladas de dióxido de carbono a mais na atmosfera pela queima de combustíveis fósseis, o que representa um aumento de 2% com relação ao número do ano anterior, com uma margem de erro de entre 0,8% e 3%. Se a esse número fosse somado o resto de emissões de CO2 causadas por outras atividades como o desmatamento, 2017 terminaria com 41 bilhões de toneladas a mais de CO2.

Glen Peters, diretor do centro de pesquisa CICERO em Oslo e um dos autores principais, afirmou que “o aumento das emissões em 2017 se deve principalmente ao crescimento das emissões da China, que aumentarão 3,5% após dois anos estabilizados”.

Os cientistas apontaram diretamente a um maior uso do carvão (3% a mais que em 2016), que continua sendo a principal fonte de energia na China, e a uma menor geração hidrelétrica como os fatores causadores do aumento de emissões do gigante asiático, que é fundamental no resultado global já que é responsável por 28% dos gases. No entato, o número de crescimento de emissões na China é inferior ao aumento de seu Produto Interno Bruto (PIB) previsto para 2017, que é 6,8%.

Continue lendo aqui.

Fonte: Época Negócios